25 de dezembro de 2012

Bullying...

 Gostaria de compartilhar a postagem da Biia, do blog Pepper Lipstick, reflitam sobre ela ok?  

O assunto é bem sério, espero que você não acabe com as expectativas de alguém!


Não é brincadeira, palavras machucam!

O que vou compartilhar com vocês hoje não é algo fácil, não foi algo fácil para mim decidir compartilhar, mas acho que se não falasse abertamente não teria sentido escrever esse texto. Hoje estou com dezenove anos e já passei por muita coisa na vida, não falo que superei todas elas, porque a coisas que ficam marcadas para sempre, coisas com as quais nós apenas aprendemos a conviver. 

Durante toda minha infância sofri com os apelidos na escola, sempre tive problema com o meu peso e isso não era algo que as pessoas aceitavam facilmente. Eu era diferente, e fui vendo desde cedo que as pessoas geralmente não aceitam o que é diferente. Eu não vou falar que não tinha amigos, eu tinha. Eles eram legais comigo e me aceitavam perto deles, porem até eles mesmo me "zoavam", eu aceitava isso, doía mas eu aceitava, porque tinha medo de ficar sozinha.

E a vida foi seguindo seu curso, sempre assim, as coisas tendem a melhorar com o tempo, mas no meu caso elas só continuavam igual. Aqueles famosos amigos continuaram sendo amigos, mas sempre me "zoando" e com o passar dos anos e a chegada da adolescência eu fui ficando cada vez mais fechada, já sofria de depressão, fazia tratamento medico desde os oito anos, mas isso não esta sendo o bastante. Lembro do desespero da minha mãe quando eu voltava para casa e chorava todos os dias durante o 1º e 2º ano do ensino médio. Os garotos me depressavaminclusive o que eu "gostava" na época. Ele só me tratava bem quando seus amigos não estavam vendo.

Cada vez que eu ficava mal - o que ocorria quase diariamente entre os 15/16 anos - eu comia escondida e depois me culpava por isso. Não tive problemas com anorexia e bulimia, mas tinha problema com compulsão alimentar. Falar disso não é fácil  as únicas pessoas que sabem disso até o presente momento são meus pais. Nunca contei nem a uma amiga. Talvez esteja mais fácil dividir isso com todos vocês agora porque eu já esteja aprendendo a lidar com isso, esteja de certa forma superando. 

Bom a historia não termina ai, as coisas não ficaram mais fáceis quando terminei o ensino médio. Sai do ensino médio com 17 anos e fui direto para a faculdade. Escolhi o curso de economia e estava animada, porque não importava o curso, importava que eu iria continuar estudando, o que sempre foi uma paixão para mim. Sempre gostei de aprender, não importa sobre o que for. Nos primeiros quinze dias de curso ninguém da minha turma sequer falava comigo, e com a minha timidez eu nunca fui muito boa em me aproximar das pessoas, então ficava isolada no canto da sala.

Os meses foram passando e até tinha um ou outro aluno que se aproximou de mim, tinha vários amigos de outros cursos, mas os do meu simplesmente não me aceitavam e com o tempo fui descobrindo o porque. As vezes eles falavam alto demais e eu escutava. Novamente eu era diferente, eu era gorda, eu era de outra cidade, eu tinha o cabelo curto, eu usava tênis  eu não era tão boa e inteligente como eles. Bom eu sai da minha escola no ensino médio com um boletim que tinha uma unica nota oito, cinco dez e o resto nove. Então eu era esforçada, sempre estudei, não sou burra, e me sentia humilhada por me tratarem como tal só porque estudei em uma escola publica a vida toda. 

Bom com o tempo as coisas foram ficando mais difícil  e eu acabei trancando o curso, eu não sei dizer se tranquei só porque economia não era pra mim, eu acho que parte de mim resolveu trancar por isso, mas a outra parte porque não tinha mais forças para ir para aquela aula, com aquelas pessoas que me julgavam a todo o momento. Eu simplesmente fui fraca e desisti e não me arrependo, porque talvez se eu tivesse continuado eu estivesse pior hoje. 

Bom hoje faz em media um ano que tranquei minha faculdade, nesse tempo evitei me aproximar de pessoas, fiquei perto só das pessoas que me aceitavam como eu era. Encontrei mais pessoas que tem essa capacidade e me permiti novamente acreditar que existe pessoas que valem a pena chamar de amigo nesse mundo. Hoje estou novamente fazendo tratamento contra depressão e compulsividade. Estou me controlando e não estou tão frustada como eu era. Hoje eu posso dizer que estou caminhando na superação.

Bom agora a pergunta: Porque eu resolvi compartilhar tudo isso? Porque essa semana vi novamente diversas pessoas falando que bullying é besteira. Não, não é! É algo serio, algo que machuca, algo que pode marcar alguém para o resto da vida, algo que pode fazer alguém desistir de sonhos. Então eu acho que ta na hora de acordar, ta nora hora de não fechar os olhos para aquelas garotas que chamam aquela menina de estranha ou gorda, esta na hora de ir lá e abraça-la e falar: Você é muito melhor do que isso, você é um ser humano, e como tal merece respeito. Eu acho que nunca é tarde para acordar para vida é ver que o que para você pode parecer brincadeira, para outra pessoa pode ser como um veneno. E veneno mata!

Retirado do blog: Pepper Lipstick
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...