21 de julho de 2013

Entrevista com a autora Diéssica Nunes Sales.

    Décima primeira entrevista feita pelo blog e a autora da vez é a Diéssica Nunes Sales. Provavelmente nos próximos meses seu livro será lançado: O Despertar da Paixão, o primeiro de uma trilogia.
   Apresento a Diéssica à vocês e espero que caso se interessem comprem o livro dela ao lançar.

Sobre...

A escritora:
- Diéssica Nunes Sales, 20 anos.
- Reside em Juiz de Fora - MG.
- Assina seus livros com seu próprio nome: Diéssica Nunes Sales.


Sou estudante de psicologia, viciada em Harry Potter, seriados, teatro, música, tocar violão, ler e escrever.Gosto de escrever Fanfics e também de me aventurar pelas peças de teatro com alguns roteiros ainda não finalizados. Apesar de amar o mundo acadêmico, sinto que a minha vida será construída tendo a arte como base. Neste mundo, posso dizer que sou completamente feliz, mesmo com todas as dificuldades.

- Links de páginas ou blogs para seguir:
Twitter: @diessicasales

Entrevista...

1. Esta é sua primeira entrevista a algum blog?
Não. Essa não é minha primeira entrevista. Há alguns meses dei entrevista para outro blog literário, ainda estava escrevendo o primeiro livro da minha trilogia. Essa, então, é minha segunda entrevista.

2. Quando você teve a ideia de começar a escrever houve algum motivo especial para isso, alguém da família que já escrevia ou te incentivava a ler, ou você só queria colocar algumas ideias no papel? Conte-nos um pouco sobre sua experiência.
Eu sempre gostei de ler. Aliás, por muitos anos eu só lia Harry Potter (risos). Foi o meu primeiro livro. Eu tinha 9 anos, eu acho. A escrita veio naturalmente. Comecei com fanfics. E depois, não sei como, resolvi começar a escrever Como Se Estivesse Escrito, que se passa numa cidade pequena e fria do norte dos Estados Unidos. Já o meu quarto livro escrito, o primeiro da minha trilogia, veio de uma música. Eu a escutava numa noite de setembro do ano passado, quando comecei a imaginar uma estória de amor para ela. E assim, surgiu o livro, e em seguida, a trilogia – que recebeu o nome da música.
   Inicialmente, eu era extremamente insegura quanto a minha escrita, mas aos poucos e com o passar dos anos, fui amadurecendo e ganhando confiança. Meus pais me apoiam no que escolhi para mim e, conheci pessoas que também me “colocam para frente”!

3. Quantos livros você já escreveu e em geral quais temas você procurou abordar neles?
Já escrevi quatro livros. Nenhum deles foi publicado ainda. O primeiro livro conta a estória de uma garota que tem sonhos premonitórios. Mas a estória em si não é nada sobrenatural. Apenas quis colocar no livro que tem coisas que simplesmente acontecem, simplesmente existem e não podemos achar uma explicação, no mínimo, razoável para elas. Como gosto muito desses assuntos “transcendentais”, escrevi meu segundo livro Destinos Cruzados com uma temática parecida. É a estória de um casal que se ama por várias vidas, mas nunca puderam viver este amor.
Ao contrário dos dois primeiros livros, o terceiro tem como temática a amizade. Se passa no Rio de Janeiro, personagens adultos, formados e realizados profissionalmente, de classe alta. Este chama Perfeitamente Imperfeitos. Como está num concurso, não posso falar mais. Mas acho que o título já sugere bastante coisa!
    Por ultimo, o quarto livro O Despertar da Paixão, primeiro livro da
Trilogia Amanhecer foi inspirado numa música. Ou melhor, a música me inspirou a criar um romance. Neste livro, falo de amor, amizade e família. Minha personagem principal, Nicole, sofre com problemas familiares sérios. É artista, e foi através da arte que sobreviveu por todos os problemas. Foi através da arte que conheceu suas amigas Ana e Isabelle, e também Vítor, um badalado ator que mexeu com todo o seu mundo.



4. Você se inspirou em algum outro autor, ou autora, para escrever seus livros?
Acho que respondi um pouco dessa pergunta na anterior (risos). Os três primeiros livros vieram do nada para mim. Não surgiram de alguma coisa. Apenas vieram para a minha mente. Ao contrário do quarto livro, que como disse, veio de uma música.

5. Foi difícil até que você conseguisse achar uma editora que publicasse seu livro? Como foi sua experiência com os leitores e o retorno que você recebeu após tê-lo publicado?
Acho que a nossa maior barreira somos nós mesmos. Não estou falando que é fácil viver da arte. Não, não é. Mas, bastou com que eu acreditasse em mim, e no meu trabalho, que consegui uma editora. Não foi difícil, eu diria. O único livro que tentei publicação foi O Despertar da Paixão, que foi aceito por todas as editoras que enviei.
   O livro ainda não foi publicado, mas tenho tido uma boa resposta do público que visita o site, lê a sinopse e as curiosidades, assiste ao booktrailer. Espero que o livro corresponda às expectativas de todos!

6. Enquanto criava seus personagens se inspirou em algum conhecido, em suas características físicas ou psicológicas? Estou curiosa, aposto que os leitores também, para saber se você tem algum cast em mente para os personagens.
Nos três primeiros livros não me inspirei em ninguém conhecido. Sophia, Mike e Julia, alguns dos personagens do livro Como Se Estivesse Escrito foram inspirados na Emma Watson, no Robert Pattinson e na MileyCyrus, respectivamente, em características físicas.
No segundo livro, Destinos Cruzados a personagem Carla, foi inspirada na Mai, personagem de Maite Perroni do seriado
RBD La Familia, tanto em características físicas quanto psicológicas.
   Já O Despertar da Paixão ganhou personagens em homenagem a amigos e pessoas especiais que passaram na minha vida. A Nicole recebeu o nome de uma grande amiga que me ajudou muito, que me incentivou a escrever mais e a publicar. Outros personagens também receberam nomes ou foram criados em homenagens a amigos, como o Vitor, a Ana, a Isabelle e outros.

7. Está com algum projeto novo em andamento?
Bem... Em andamento ainda não. Mas tenho muitos ainda no plano das ideias. Tenho investido um pouco do meu tempo nos versos. E até que tem saído alguma coisa legal (risos). Quero, ainda neste ano, escrever o segundo livro da Trilogia Amanhecer, incialmente intitulado de Uma Vida de Sonhos Desfeitos. Também pretendo, não necessariamente neste ano, revisar o conteúdo dos meus dois primeiros livros Como Se Estivesse Escrito e Destinos Cruzados.

*Recado da Diéssica para outros escritores...
Como disse acima, nossa maior barreira somos nós mesmos. Então, escreva. Simplesmente escreva e acredite em si mesmo. E o mais importante, se envolva na estória. Viva com seus personagens, ame e sofra com eles. Um poeta, uma vez me ensinou – e vive me lembrando, que a maior racionalidade que se pode ter é sentir. E tudo, tudo acontece devagar, no seu tempo. Tudo que chega rápido, vai rápido. Então, escreva, acredite no seu potencial, saiba aproveitar as oportunidades, mas não tenha pressa. Tudo chega na hora certa.

NOS AJUDE A DIVULGAR ESSA IDEIA...
Se você conhece algum outro escritor novato nos informe para podermos entrar em contato ou lhe envie a entrevista e passe nosso e-mail para que depois possamos publicá-la.  Agradecemos pela colaboração!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...