8 de setembro de 2013

Bate-papo Bienal Online 2013 com a autora Diéssica Nunes Sales

    Olá, leitores! Ontem (7 de setembro) rolou no Facebook um bate-papo com a autora Diéssica Nunes Sales, nossa parceira que já foi entrevistada (confira aqui), realizado pela Bienal Online. 
    Foi uma experiência muito interessante, pois houveram várias perguntas relevantes inclusive fiz cinco perguntas, as quais marcarei em lilás. A Diéssica foi super atenciosa e respondeu a todos com o maior carinho. Foram 28 perguntas relacionadas desde seu livro, O Despertar da Paixão, até o pessoal.
    Abaixo seguem todas as perguntas e respostas para os que não participaram e para aqueles que quiserem saber mais sobre seu trabalho. 


-----

DIÉSSICA, CONTA PRA GENTE: COMO SURGIU ESSA PAIXÃO PELA ESCRITA?
Bem, começou de uma forma bem natural... Comecei a ler aos 9 anos, Harry Potter. Aos 14, mais ou menos, comecei a escrever fanfics e aos 16, eu simplesmente comecei a escrever minhas próprias estórias!

E VOCÊ É NOVINHA E JÁ TÃO CHEIA DE EXPERIÊNCIA COM AS PALAVRAS! MUITO LEGAL ISSO! JÁ QUE COMEÇOU CEDO, SEMPRE QUIS SER ESCRITORA?
Haha, que isso! Obrigada pelo elogio... Não, eu não me imaginava escrevendo... Foi uma coisa que surgiu em mim, não sei exatamente como... Minha paixão pela leitura começou com Harry Potter, e pela escrita também, com as fanfics... Mas, escrever algo meu, foi algo que surgiu num ponto da minha adolescência, mas não sei dizer exatamente nem como, nem quando... Só que aos 16 eu já começava a escrever minha própria estória!

E DE ONDE VEM A INSPIRAÇÃO PARA CRIAR SEUS PERSONAGENS? SÃO DE PESSOAS QUE CONVIVE COM VOCÊ? OU SÃO TODOS FICTÍCIOS?
Meus personagens são todos fictícios. Às vezes me inspiro em algum ator/atriz para fazê-lo fisicamente, ou como fiz no meu ultimo livro, criei personagens em homenagem a alguns amigos. Mas, em momento nenhum, criei personagens com personalidades iguais/parecidas as deles.

VOCÊ ACHA QUE ESCREVER FANFICS PODE SER CONSIDERADA UMA PORTA DE ENTRADA MESMO PARA A LITERATURA E UMA POSSÍVEL CARREIRA COMO ESCRITOR?
Com certeza! Super acredito nisso. Eu não sei se estaria escrevendo se não tivesse começado pelas fanfics. Talvez eu estivesse, não posso afirmar nada... Mas, escrever fanfics pode ser uma forma de a pessoa ver que ela é capaz de escrever, que só tem que dar asas a imaginação, que só tem que se permitir entrar num mundo que é só dela...

DIÉSSICA, PARA VOCÊ, QUAL A SENSAÇÃO DE TER O PRIMEIRO TRABALHO PUBLICADO? EMOCIONALMENTE FALANDO, COMO VOCÊ ESTÁ LIDANDO COM ISSO?
Ah... É uma sensação maravilhosa. É algo indescritível, sabe?! Eu não sei por em palavras a felicidade.
Mas não posso negar que tenho que trabalhar constantemente minha ansiedade... Além do medo... Ficamos tanto na expectativa que queremos tudo rápido, tudo pro agora. Queremos agradar as pessoas, e aí bate aquele medo de não corresponder às expectativas dos leitores.

ACHO QUE SER ESCRITOR É TRABALHAR CONSTANTEMENTE COM A ANSIEDADE. O QUE VOCÊ FAZ NA PRÁTICA PARA CONTROLAR ESSA DANADA?
Olha, é difícil... haha! Mas, pra eu não descontar na comida, eu vou pra academia! Haha, isso mesmo! Faço esteira a mil km/h, quando eu canso eu paro uns 5 min e volto com tudo... Isso ajuda muito na ansiedade...
E AS CRÍTICAS? PREPARADAS PARA ELAS? VOCÊ ACREDITA EM CRÍTICA CONSTRUTIVA OU ELA NÃO EXISTE PRA VOCÊ?
Preparada, preparada, acho que não. Acho que nunca estamos. Mas sim, preparada para ler as críticas que tem algo a acrescentar e jogar no lixo aquelas que são sem argumento e fundamento. Acredito sim na crítica construtiva. É legal pra nós lermos uma resenha, onde o leitor aponta o que não gostou, e argumenta. Isso ajuda muito. O que não acho legal é quando o leitor diz não gostar, muitas vezes fazendo uma crítica até desrespeitosa, e não fundamentar nem argumentar o porquê de não ter gostado!

O QUE A SUA FAMÍLIA ACHA DE VOCÊ SER ESCRITORA?
Meus pais me apoiam muito. Apesar de que acho que surtariam se eu largasse a faculdade para me dedicar somente à arte. Mas sei que seria somente preocupação, afinal, pais não são eternos e acho que a maior tranquilidade de um pai e uma mãe é ver o filho conseguindo se sair bem na vida, se sustentando...
Mas, na minha realidade atual, escritora durante a noite e graduanda de psicologia durante o dia, eles me apoiam muito. Parei de trabalhar para dedicar a escrita e meu pai me dá tudo que pode. Apoiam-me o tempo todo, tanto com suporte de tempo, espaço pra escrever, e também dinheiro.

ZUENIR VENTURA EM UM CAFÉ LITERÁRIO NA BIENAL DESSE ANO DISSE QUE ESCRITOR NÃO TEM QUE TER OBRIGAÇÃO COM A VERDADE ABSOLUTA, TEMOS A LIBERDADE DE CRIAR. EU PARTICULARMENTE FIQUEI BEM ALIVIADA COM ESSA AFIRMAÇÃO PORQUE HOJE EM DIA AS PESSOAS ESTÃO QUERENDO VOAR MUITO POUCO, SEMPRE ACHANDO QUE AUTORES TÊM QUE ESCREVER VERDADES, VERDADES E VERDADES... O QUE VOCÊ PENSA DESSA AFIRMAÇÃO?
Bem, eu acredito que temos que ter a nossa liberdade. Nossa liberdade artística. Afinal, como explicar a arte? Escrever é uma arte!
Acho que é legal nos inteirarmos de algo para escrever. Mas dependendo da proposta do livro. Se for um livro mais "real" por que não fazer pesquisas para não escrever bobagem?
Ex: Não acho que Meyer é "doida" porque escreveu uma estória onde os vampiros brilham, podem sair a durante o dia e bla bla bla.
Ela tem liberdade literária para isso! Assim como todos nós.
Será que me fiz entender?! Rs

E SOBRE A PUBLICAÇÃO INDEPENDENTE O QUE TEM PRA CONTAR PRA GENTE? O QUE ACHA SOBRE ESSA NOVA FORMA DE TER UM LIVRO PUBLICADO?
Acho que é uma forma do autor começar. Claro que ter uma editora é mais rápido o processo pra entrar no mercado. Mas, com a internet, é um meio muito bom para começar a carreira.

E COMO CONHECEU A EDITORA APED? COMO FOI O TRABALHO REALIZADO COM ELES?
Não me lembro exatamente como conheci a APED. Lembro-me que foi no ano passado, quando ainda nem tinha escrito O Despertar da Paixão. Logo que terminei de escrever esse livro, fiz uma lista de editoras e a APED entrou nelas. Então eu enviei o manuscrito e foi aprovado.
O trabalho com eles é muito bom no sentido da conversa. A Zélia é uma pessoa bastante atenciosa, e que procura fazer o máximo e o melhor. Teve alguns pontos que deixaram a desejar, mas é o que aconteceria com qualquer editora.

QUE GÊNERO AINDA PRETENDE ESCREVER?
Escrevo romances românticos, contos, e agora estou me aventurando em poemas e roteiros. Tenho vontade de me aventurar na literatura fantástica e talvez em crônicas.

QUAIS OS PONTOS QUE A EDITORA DEIXOU A DESEJAR?
Na revisão do livro. Isso deixou muito a desejar.

DIÉSSICA, MUDANDO UM POUCO O FOCO DE ESCRITORA, CONTE-NOS UM POUCO DE SEU BLOG, O PROJETO DE VALORIZAR OS ARTISTAS NACIONAIS.
Bem... Ano passado eu estava no twitter divulgando meus dois primeiros livros, que na época estavam disponíveis para download. Então, o fã clube de um modelo, Duam Socci, viu que eu sou escritora e pediu pra eu fazer uma entrevista com o tal Duam. Eu agradeci pela ideia, mas disse que só publicava textos meus, e não fazia entrevistas. Mas fiquei com a ideia na cabeça. Fiquei com isso, e troquei ideias com a Nicole, uma menina que eu conheci também enquanto divulgava o livro.
Então, depois de pensar e amadurecer a ideia, surgiu o blog Valorize Artistas Nacionais. (www.valorizeartistasnacionais.blogspot.com.br/)

ENTÃO, COMO ANDEI VENDO A SINOPSE DO SEU LIVRO E ETC, ME CONTE UM POUCO MAIS SOBRE A HISTÓRIA. O QUE DEVE SER ESPERADO DE ‘O DESPERTAR DA PAIXÃO’?
De O Despertar da Paixão vocês podem esperar muito romance, muitas brigas, muita vontade de superação. Vocês também podem esperar ler coisas que nunca tinham pensado, em especial da relação em família (faço psicologia né, então na faculdade muita coisa é desconstruída - social e historicamente - e como somos um todo, impossível não aparecer no meu lado escritora, rsrs)
Vocês também podem esperar conhecer uma garota cheia de sonhos, forte e frágil. Conhecer um lado da vida artística que poucos conhecem - apesar da minha ênfase não ser essa.

HÁ MUITA COISA DE VOCÊ NA SUA PERSONAGEM?
Depende do quê. Minha personagem, por exemplo, é sonhadora, escritora, estudante de psicologia. Assim como eu. Os defeitos de seus pais são os defeitos que mais abomino nas pessoas.
Mas a Nicole vive coisas que jamais vivi. Um exemplo disso são os problemas familiares. Todos os que tive é que qualquer família "normal" tem! (Sem falar que nunca tive um romance com um ator super gostoso, enfim, kkkk)

AMEI. PELO QUE PERCEBI, CLICHÊS NÃO SERÃO RETRATADOS?
Clichês não é uma coisa que tem no livro. Uma coisa que o livro mais tem são coisas inesperadas. (Até eu fiquei meio surpresa quando reli o livro depois de alguns meses, rs)

VOCÊ CONSEGUIU VISUALIZAR SEUS PERSONAGENS NA SUA CABEÇA? POR EXEMPLO, LI QUE UMA AUTORA NACIONAL SÓ VIA BORRÕES EXECUTANDO AÇÕES.
Eu conseguia visualizar meus personagens. No primeiro momento foi mais difícil, mas à medida que fui escrevendo, suas características foram ficando mais fortes pra mim, me permitindo visualizá-los.

DIÉSSICA, COMO VOCÊ AVALIA O IMPACTO DA UNIÃO DOS AUTORES NACIONAIS EM RELAÇÃO À BUSCA DE ESPAÇO PRÓPRIO?
Eu acredito que quanto mais unidos melhor. Essa estória que Brasileiro não lê está ficando pra trás! Nós temos que nos unir para que nosso país se interesse por nós e não só por estrangeiros. Então, acredito que o impacto da união é só bons frutos.

E COMO VOCÊ AVALIA OS RESULTADOS DOS BLOGS OU PÁGINAS LITERÁRIAS NA DIVULGAÇÃO DO AUTOR NACIONAL?
Blogs são nossos grandes aliados. Apesar de que, muitos apenas estão atrás de livros de graça. Blogs assim não entram na minha lista de parceiros nem tendo 100.000 seguidores! Mas blogs lindos como o da Isabela Mazza, que antes de querer livros de graça, querem conhecer o trabalho do autor, divulgá-lo, são blogs que merecem muito reconhecimento, e que - eu acredito - que nos ajudam mais que qualquer outro. Pode parecer bobeira, mas pra mim, algo feito com amor, carinho e capricho dará muito mais resultados que algo feito por números!

QUAL O PREÇO DO TEU LIVRO?
Tenho que confirmar, mas acredito que será R$22,00 reais comigo e com a editora, e R$30,00 na livraria.

QUAL LIVRARIA?
Travessa e Cultura, mas só pelo site.

ELE JÁ ESTÁ DISPONÍVEL NA TRAVESSA E CULTURA?
Ainda não.

COMO TEM SIDO A SUA RELAÇÃO COM O SEU PÚBLICO LEITOR?
Tem sido boa. Apesar do livro ainda não estar à venda (somente semana que vem), já recebo alguns comentários de pessoas que desejam ler!

MUDANDO DE ASSUNTO, COMO ANDA A BIENAL? 
A Bienal está linda! Linda demais! Fui sábado e domingo passado e foi maravilhoso! Conheci várias pessoas que já deram entrevista para o blog e conheci várias outras! A bienal está pura literatura nacional!

SEUS LIVROS JÁ CHEGARAM ATÉ VOCÊ, DIÉSSICA?
Ainda não. Segundo a editora, semana que vem estarão aqui!

QUANTAS PÁGINAS TEM O LIVRO?
228 PÁGINAS.

VOCÊ COLOCOU CARACTERÍSTICAS REGIONAIS NAS PERSONAGENS? PERCEBI QUE COMO VOCÊ, A NICOLE É DE JUIZ DE FORA.
Uhum. A estória se passa entre Juiz de Fora, Rio de Janeiro e Paris. Neste livro fiz algo que não fiz em outros. O livro se passa em mais de uma cidade. Apesar de que, aqui em Juiz de Fora, nós somos chamados de Cariocas do Brejo... Então, temos diferenças para os cariocas, mas são menos marcantes que as de outros mineiros... Eu quase não as vejo, rs. Juiz de Fora é muito perto do Rio! Alguns chamam de "quintal do Rio" e por aí vai...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...