16 de janeiro de 2014

Livrarias cobram para expor livros em lugares privilegiados. Mito ou não?

     Oi, galera! Tenho um assunto controverso para tratar hoje.
   Pelo Facebook participo de muitos grupos de leitores, livros e afins; dessa forma me mantenho bem informada. Em um desses, o Livros de Fantasia, encontrei o texto transcrito abaixo. Nunca havia ouvido falar disso, esse investimento das editoras para as livrarias... achei interessantíssimo! 
     Fiquei com uma baita pulga atrás da orelha.
    Mito ou não? Será que as livrarias se utilizam desse tipo de prática e as editoras estariam achando os preços cobrados abusivos? 
    Minha opinião: não vou dizer que é errado, as pessoas tem que vender seu peixe. 
    O foco principal da minha publicação é a reflexão, informação e conhecimento. Quero saber se isso realmente acontece. Óbvio que aqueles livros (expostos nas prateleiras principais e na vitrine) que sempre topamos em uma livraria ou sebo são os das editoras "tops", seus livros sempre fazem sucesso. Ou seria uma situação inversa? O sucesso dos livros dessas editoras, que investem pesado no marketing e etc., é garantido pela qualidade dos livros. Contraditório, talvez.
     Vou expor o texto do Tonny Cruz e assim vocês podem trocar suas opiniões comigo, após a leitura.

LIVRARIAS COBRAM PARA EXPOR LIVROS EM LUGARES PRIVILEGIADOS 
   O assunto é antigo, portanto não é novidade, mas tem ganhado cada vez mais força a insatisfação por parte das editoras quanto a usura praticada por certas livrarias. É que algumas delas estão cobrando cada vez mais caro para colocarem livros em pontos mais expostos. Sim, aquele livro que você se depara assim que entra em certas livrarias não está ali por acaso.
   Assim como em alguns supermercados, a prática da gôndola privilegiada também acomete o mundo literário. Para se ter o livro colocado em lugar de melhor visão (normalmente na frente da entrada principal), as editoras devem desembolsar uma boa quantia. Quantia essa que vem sendo inflacionada seguidamente e tem feito certas empresas rangerem os dentes. A insatisfação é tão grande que até gente graúda tem reclamado da situação.
  Vejam a que ponto as coisas chegaram: Se até as editoras gigantes têm reclamado, imaginem os preços que estão sendo cobrados. Situação que tem feito até a turma que acredita que tal cobrança é mera lenda urbana ficar rubra de vergonha. Ou será que a cobrança, com tabela proporcional de preços pautadas pela altura das prateleiras ou centímetros ocupados é mesmo uma crendice popular?
    Não sei, mas como sou chegado em teorias da conspiração, fico com a turma que acredita na veracidade do “mito” e só sei que livros em lugares privilegiados são sempre os que fazem parte dos catálogos das editoras grandes.
     E que fique claro que não condeno esta prática. A mim pouco importa quem cobra e quem paga. Mas para não dizerem que estou completamente alheio a questão, procuro vasculhar bem as livrarias e tal qual um garimpeiro ávido por ficar rico subitamente, entro numa prática de verdadeira garimpagem.
    Afinal, em meio a uma infinidade de livros, eu posso descobrir uma verdadeira pepita que estava ali, bem escondida em algum grotão antes imperceptível. Até porque, ampla exposição definitivamente não é sinônimo de qualidade.
     E então, vamos garimpar?
     Estou no twitter: @TonnyCruzBR

FONTE: Blog do Tonny Cruz
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...